quarta-feira, 3 de outubro de 2012

O LEGADO DA HEBE

                Velórios e enterros televisivos sempre causam comoção. A morte de uma personalidade (da mídia, de preferência) é explorada às escâncaras e ao esgotamento e tenta-se incutir no telespectador um sentimento de pesar que na maioria das vezes ele não sente. Quem vai é melhor do que quem fica. Costumo dizer que quem morre leva junto os defeitos. Pelo menos durante o curto período de luto.
                A comoção nacional e a exploração midiática da vez foram em torno da morte da apresentadora Hebe Camargo, famosa mais por sua longevidade jurássica na televisão do que propriamente por bons trabalhos realizados. Hebe foi cantora, atriz (alguém se lembra?), apresentadora e deve ter sido mais coisas. Mas a pergunta que faço é: O que a Hebe deixa de legado para o Brasil?
                Não tenho idade para ter acompanhado a carreira de Hebe antes de se tornar uma apresentadora, bem mediana, aliás. Mas, principalmente, na época em que freqüentava a casa da minha avó e não tinha qualquer poder sobre o controle remoto, pude observar que ali estava uma figura divertida. Ponto. Mais do que isso, o que sempre me chamou a atenção foram a futilidade e a postura reacionária, típica de apresentadores de massa. Ah, e os constrangedores ‘selinhos’ em seus convidados, marca da sua já avançada senilidade.
                Nunca vi em Hebe alguém com inteligência, ou com posições relevantes e ponderadas acerca dos problemas nacionais. Nunca vi em Hebe um ídolo, lógico, mas não chego nem a achar que mereceu o destaque que teve no fim da vida e, sobretudo, após sua morte. Estava no ostracismo, relegada à insignificante audiência da insignificante RedeTV!. Aliás, entre Hebe, Faustão e Datena vejo poucas diferenças e muitas semelhanças. Seu velório, no entanto, e, mais ainda, sua cobertura pela mídia, foram com honras dignas de vultos históricos.
                Personalidades significativas quando se vão deixam um legado para o país. Marcam sua existência, tem um significado na história nacional. Esse ano, por exemplo, perdemos Chico Anysio, um gênio indiscutível que se imortalizou na mente de todos os brasileiros. E a Hebe? O que ela nos deixa? Gargalhadas e beijos? Roupas e sapatos para doação? Não. Sinceramente: Nada. Precisamos é aprender a cultuar personalidades melhores.

10 comentários:

  1. Prof. Bernardo
    Achei meio sarcástico.
    Mas seguindo a linha de pensamento, imagina quando o Sílvio Santos morrer!!

    ResponderExcluir
  2. Discordo de vc, Bernardo... em alguns pontos! Primeiramente, quando você diz que ela era "divertida e ponto". Foi justamente essa diversão da Hebe que a manteve na televisão por tantos anos. Diversão essa que não eu não considero uma simples característica, como o fato dela ser loira, por exemplo. O humor da Hebe era justamento o reflexo da inteligência e da capacidade de formular respostas rápidas e que se encaixam no contexto das entrevistas. Discordo também, quando você diz que ela não deixa legado! Realmente você não era um expectador dela. A Hebe e a Marília Gabriela são as únicas apresentadoras deste País que deixam o convidado falar e perguntam o que nós queremos saber. Nem o reverenciado Jô Soares, a meu ver, tem essa capacidade. O legado da Hebe foi justamente a forma descontraída e espontânea de fazer entrevistas somada à habilidade de improvisar... tão incomuns no cenário de apresentadores brasileiros. Legado este que, na minha opinião, não deve ser entendido com desdém. Marília Fabiano

    ResponderExcluir
  3. É capaz de ele dizer que o Sílvio Santos também não deixou legado nenhum, Melce... quem deve ter deixado legado é o Paulo Henrique Amorim ou o Emílio Surita. #toindignadocomessetexto

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelos comentários, mas discordo de todos. E me decepciono também, mas vá lá. Melce, sarcástico? Eu? Rsrs. Marília, duvido que a Hebe perguntasse coisas que eu quisesse saber, mas respeito a sua opinião, apesar da discordância. William, o Silvio Santos vai deixar um imenso legado: um império televisivo e empresarial, além de ter sido uma pessoa conhecida por ajudar as outras, de ter lançado grandes artistas e programas importantes etc. O Emílio, embora eu o admire, realmente não deve deixar muita coisa.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito o texto, parabéns, faleceu simplesmente uma sub celebridade das quais estamos cheios e não nos fazem falta alguma, apresentadora de programas toscos, desconexos, e sem produtividade social alguma, uma dona de casa com uma câmera à frente, nada mais que isso.

    ResponderExcluir
  6. Caro Bernardo, concordo com suas colocações. A pergunta chave é: a Hebe fará falta? No meu entender a resposta é NÃO!. Realmente não deixou legado algum, pois se alegria e carisma fossem legados, o Bozo e Patati Patata entrariam na lista de celebridades com grandes legados. Enfim, vejo a Hebe como um produto, e como tal é facilmente reproduzido pela indústria do entretenimento para as massas (Eliana, Ana Hickmann e Xuxa já ocupam seu lugar como apresentadoras e entrevistadoras do mundo fútil). Felizmente, o mundo dos mortos ficaria tão fútil com a presença da Hebe que logo em seguida chamou o historiador Eric Hobsbawm (este sim com enorme legado) para melhorar o ambiente.

    ResponderExcluir
  7. POLIANA DE MATOS GARCIA5 de outubro de 2012 07:19

    Professor Bernardo,, concordo com o fato de que Hebe Camargo não é mesmo uma pessoa que mereça toda esta reverencia da população e da mídia, da mesma forma que detesto quando chamam o Pelé de Rei, a Xuxa de Rainha e por aí vai. Pergunto-me quais são os valores que são importantes para a sociedade. Pois como vc escreveu em uma resposta, que o Silvio Santos vai deixar um imenso legado. Que legado? De um bom administrador?. Empreendedor nato? Visionário? Ou apenas um apresentador que jogava aviozinhos de dinheiro para a plateia? Tudo que ele e muito outros como Roberto Marinho, Eike Batista, Steve Jobs, fizeram tem seu valor! São inteligentes, capazes, astutos e tudo que é preciso para ser um grande homem de NEGOCIOS. E é neste ponto que eu me pergunto, o que importa isto para a sociedade?.Se por conta deles muita gente tem emprego, tecnologia de ponta, ou entretenimento,é simplesmente por que isto tudo faz parte de um objetivo o LUCRO. Sem ser piegas, mais tem muita gente no anonimato que merece muito mais honras. O que me consola é que estes recebem as lagrimas verdadeiras e sinceras dos que foram amados por eles,e os tesouros do Céu.

    ResponderExcluir
  8. Roupas para doações? E lá vai mais um leilão para arrecadar alguns "mil" de gente que nem se importa se esta adquirindo um sapato com chulé de dinossauro.
    Ah sim, ela nos deixou o bordão "gracinha". Utilizado frequentemente com a boca repuxada e uma cara marota.

    ResponderExcluir